4.12.09

África do Sul 2010

No Mundial de 1966, Portugal ganhou ao Brasil na fase de grupos num jogo em que Vicente, defesa que alinhava no Belenenses, quadrou Pelé. Quadrou não, praticamente o assassinou à pancada. Uns anos depois depois, Vicente ficou cego de um olho e incapacitado para o futebol. Sinal maior que Deus é brasileiro não deverá haver.

No Mundial de 2010, o Brasil volta a cruzar-se no destino de Portugal. E, lá está o Deus brasileiro outra vez a fazer das suas, os brasileiros vão entrar em campo com 14 jogadores e nós com oito. A não ser que entretanto se descubra que Deco, Liédson e Pepe nasceram, respectivamente, em Sobral de Monte Agraço, Vouzela e Silves.

No Mundial de 1966, Portugal despachou a Coreia do Norte nos quartos-de-final por 5-3 depois de estar a perder por 3-0. Valeu Eusébio, também ele português de gema (julgo que de Monforte, terra de Coluna e Hilário, por exemplo).

No Mundial de 2010, os norte-coreanos, paladinos da democracia e dos direitos humanos, são nossos adversários de novo. Se a realidade se repetir, e as coincidências forem mais do que isso, iremos até às meias-finais e seremos eliminados pelo país anfitrião, tal como o fomos pela Inglaterra em 1966. Depois de perdermos uma final de um Europeu em casa com a Grécia, sermos afastados pela África do Sul numas semi-finais será quase uma honra.

Só para chatear mais um bocadinho antes de voltar a escrever qualquer coisa no blog daqui a um mês, queria dizer que gostei muito de ver a África do Sul representada no sorteio da fase de grupos pela Charlize Theron, ilustre membro da tribo zulu. Eu sei que todas as negras sul-africanas deviam estar a fazer limpezas ou um filme pornográfico à hora do evento, mas a FIFA podia ter feito um esforço para arranjar uma nativa que anunciasse em voz alta as bolinhas com os nomes dos países participantes no Mundial. Ainda dizem que não discriminam os pretos, neste caso as pretas... Fucking racists.

2 comentários:

mik disse...

A Charlize Theron é nativa da África do Sul, meu caro. E manteve sempre a nacionalidade. A família dela continua a viver no país. Pensar que a África do Sul é um país só de negros é que é um bocadinho racista, não achas? Abraço.

Pedro disse...

Que a Charlize Theron é sul-africana sei eu. Que eles não tenham encontrado uma negra (a grande maioria da população) para abrilhantar o sorteio é que acho mais esquisito um bocadinho.