17.12.08

Deolinda

Difícil não é ser bom, difícil é ser original. Os ‘Deolinda’ é o projecto mais inovador da música portuguesa que surgiu nos últimos anos. Logo os quiseram catalogar. Que é fado, disseram. É nada, isto é uma mistura de tanta coisa interessante que não tem definição possível. O que, estranheza onde estás, está longe de ser defeito. Neste caso é qualidade. E muita. Se o som não é propriamente classificável (tamanhas as misturas que o caracterizam), a riqueza das letras é indescritível de tão boa. E esta, particularmente, é brilhante. Nunca o modo de ser, viver e encarar o dia-a-dia dos portugueses foi tão deliciosamente resumido.

Agora sim, damos a volta a isto!
Agora sim, há pernas para andar!
Agora sim, eu sinto o optimismo!
Vamos em frente, ninguém nos vai parar!

-Agora não, que é hora do almoço...
-Agora não, que é hora do jantar...
-Agora não, que eu acho que não posso...
-Amanhã vou trabalhar...

Agora sim, temos a força toda!
Agora sim, há fé neste querer!
Agora sim, só vejo gente boa!
Vamos em frente e havemos de vencer!

-Agora não, que me dói a barriga...
-Agora não, dizem que vai chover...
-Agora não, que joga o Benfica...
e eu tenho mais que fazer...

Agora sim, cantamos com vontade!
Agora sim, eu sinto a união!
Agora sim, já ouço a liberdade!
Vamos em frente, e é esta a direcção!

-Agora não, que falta um impresso...
-Agora não, que o meu pai não quer...
-Agora não, que há engarrafamentos...
-Vão sem mim, que eu vou lá ter...

2 comentários:

Mar disse...

Apesar de não ser a minha "onda", gosto muito, camarada!

Acho esta lindíssima: http://www.youtube.com/watch?v=Mf3tRK1e0RM

Pedro disse...

Também gosto muito da "Clandestino". É suave, terna, tem uma letra excelente...

Beijinhos, camarada