13.6.08

Ontem detive-me a assistir a um pouquinho das marchas de Lisboa – sim, também tenho direito a laivos de masoquismo.
Aquilo é tão mau, tão mau, mas tão mau, que fiquei a pensar que se fosse realizado no Porto seria oportunidade de ouro, mais uma, para sermos apelidados de parolos. Como é em Lisboa é considerado cultura popular.
Enfim...

5 comentários:

EU disse...

é que é mesmo isso !!!

o sr. por acaso está aborrido ? ou fechado para férias :-)

Pedro disse...

Pois que estou a fazer nada de nada. E mais um bocadinho de nada. Talvez amanhã vá à praia. Já estive lá perto mas ainda não pus os pés na areia. Falta sentir os grãos a irritar a pele. O que até sabe bem.

EU disse...

apita tb devo ir !!! amanhã domingo vai chover !!
ja estou moreninha !!

viste a minha msg para o HOT ?

Anónimo disse...

A cidade nocturna (S. João) e a cidade diurna (S. António)...ambas belas e imperfeitas...

Pedro, nenhuma das pessoas com que tenho contactado em Lisboa, Lisboetas de gema, diz mal do Porto, já o contrário não se verifica...

Mas é bonito de se ver, a defenderes acerrimamente o "Norte",
falam do Norte apenas para separá-lo do resto de Portugal. Para um nortenho, há o Norte e há o Resto. É a soma de um e de outro que constitui Portugal. O Norte é onde Portugal começa...Sim...Admito...O Porto é encantador...todavia Lisboa mais imponente, o Porto sempre mais tradicionalista.

Quanto às Marchas Populares:
- animam o zé povinho (bálsamo);
- mais um feriado;
- folia (a bela da sardinha e da sangria);
- alegria!

Perante isto, qual é o problema de ser parolo? :)

Bjs.
Cat.

Pedro disse...

Cat, eu não estou a defender acerrimamente o Norte até porque há muito que me deixei dessa tanga do bairrismo. Estou simplesmente a constatar um facto. E não é verdade que não haja lisboetas a falar mal do Porto, sei bem do que falo por experiência própria. O que não quer dizer que seja o teu caso, pelo contrário. Aliás, eu também não tenho por hábito falar mal de Lisboa, cidade de que gosto bastante. Só não aprecio é certas diferenças de tratamento impossíveis de compreender para quem não as vivencia.
Para finalizar, deixa só que te diga que sabe bem ser parolo tal qual o defines. Pena é que a sardinha esteja caríssima e que a sangria me rebente com o fígado.
Posto isto, se quiseres aparecer aqui para o São João estás à vontade. Sejamos parolos à vontade. Ou qualquer coisa do género.
Bjs