19.2.08

Confesso que apreciei a prestação de José Sócrates na entrevista à SIC. Porque conseguiu condicionar os temas da entrevista, apenas quatro, que bem condensados como foram permitiram que o primeiro-ministro passasse quase uma hora a falar sem nada dizer. O que é de mestre. Sim, que conseguir discursar durante 48 minutos mandando para o ar frases feitas e números bem decorados tem da sua mestria. Mestria dos espertos, mas mestria. Ou uma boa assessoria de imprensa.
Faz-me lembrar algo delicioso que li sobre Adelino Amaro da Costa, o dirigente do CDS que morreu no mesmo desastre de aviação que vitimou Sá Carneiro, o qual, num convívio com colegas da Faculdade de Direito, conseguiu perorar duas horas sobre botões de camisas e casacos. Além de um excelente apelo à capacidade de argumentação, que o é, revelou inteligência. Neste caso inteligência, que o nível intelectual de Sócrates e Amaro da Costa não me parece comparável, apesar de estar nos antípodas das respectivas opções políticas e ideológicas.

Obs: Perorar é bonito, não é?

3 comentários:

Joana disse...

Desculpa... Mas depois de ter lido a palavra "perorar" já não consegui concentrar-me no resto do texto...
Como já te disse estou esmagada!

Sim mas há que reconhecer que o Eng.(?)José Sócrates tem o engenho de "comer a cabeça" ao Zé povinho...por alguma razão é primeiro-ministro.

Beijos

Anónimo disse...

Como é que se pode estar nos antípodas de um social-democrata e, ao mesmo tempo, de um conservador? Estes comunas... Depois eu é que sou vodka melão, olhe, antes melão que laranja.

Pedro disse...

Quais comunas? Quando um social-democrata hoje é mais de direita do que um conservador nos anos 70/80 acho que é fácil explicar...
Abraço
E lembra-te que as vodkas com sabor esquisito podem provocar a calvície.