23.3.08

E celebramos a Páscoa por causa disto...

Jesus Cristo (JC) decidiu descer da cruz ao fim de três dias porque já não aguentava as dores nas mãos. Esta é a versão oficial que consta dos relatórios da Polícia Judiciária depositados na Torre do Tombo da cidade de Jerusalém. Um polícia meu amigo decidiu revelar-me toda a verdade. Joshua, que abriu em Portugal uma cadeia de restaurantes homónima e cá ficou até ser obrigado a fugir por dívidas ao fisco, deu-me as fotocópias onde são transcritas as últimas horas de agonia de Cristo. Ou melhor, daquele que toda a gente pensa ser Cristo mas afinal é simplesmente um vagabundo.
Passo a explicar. Estava JC em plena cruz quando, ao fim de dia e meio, percebeu que aquela merda estava mal pregada. De acordo com a documentação oficial, JC chegou à conclusão que não valia a pena morrer pelos outros e, sobretudo, finar-se com pouco mais de 30 anos e uma vida pela frente. Daí que viu um velho sem-abrigo a roçar-se nos seus pés e pediu-lhe ajuda. A troco de um pequeno milagre, solicitou-lhe que o despregasse. O gajo acedeu. No fim, suplicou-lhe uns trocos para uma cervejas, mas JC (que não era burro) pegou no indigente e espetou-lhe com classe na cruz que devia ser de Cristo. E partiu rumo às praias do Mar Morto para ir ter com umas gajas que entretanto Judas lhe orientou. Acabou por morrer em consequência de uma dose bem misturada de chá de menta, haxixe e vinho tinto. Dois meses depois de ter aterrado na Dead Beach Zone.
O outro velho, esse, ficou esquecido na cruz e o pessoal caiu que nem um pato e começou a entoar a tanga da ressurreição. O que afinal sucedeu foi o que o homenzinho, Raphael de sua graça, adormeceu mal foi crucificado e acordou no exacto momento em que os carrascos se preparavam para o levar para longe. Os fiéis, que nunca perceberam a troca de corpos, ficaram abismados e começaram a adorá-lo pensando que voltava à vida depois de morto.
Os ovos de Páscoa, por seu lado, têm origem na capacidade fecal de Raphael. O homem não se conteve e soltou-se várias vezes. Quem passava pensou que aquilo eram ovos para alimentar o povo faminto e a coisa passou a ser conhecida da maneira que todos hoje sabemos.
Boa Páscoa, seja lá o que isso for!

Obs: escrevi isto para um blog que mantive durante ligeiramente mais que pouco tempo já lá vão uns anos e de cuja existência já quase não me lembrava.

1 comentário:

EU disse...

:-) a unica coisa que vejo de mal em JC é mesmo ter as iniciais de J. C. (private joke)
felizmente o JC que te referes foi alguem que fez historia pelo bom sentido...o da actualidade não fará historia nenhuma !!

bjs peter!