9.3.08

A uma rapariga *

Abre os olhos e encara a vida! A sina
Tem que cumprir-se! Alarga os horizontes!
Por sobre lamaçais alteia pontes
Com tuas mãos preciosas de menina.

Nessa estrada de vida que fascina
Caminha sempre em frente, além dos montes!
Morde os frutos a rir! Bebe nas fontes!
Beija aqueles que a sorte te destina!

Trata por tu a mais longínqua estrela,
Escava com as mãos a própria cova
E depois, a sorrir, deita-te nela!

Que as mãos da terra façam, com amor,
Da graça do teu corpo, esguia e nova,
Surgir à luz a haste de uma flor!...

* poema de Florbela Espanca

5 comentários:

John River disse...

A Florbela Espanca era panca porque era espancada!
(Não ligues não tem nada a ver...)

Natacha disse...

Oh my god...

EU disse...

lolol

estrelinha que te guie.... lolol

Bjs e bem vindo de novo!!

Pedro disse...

Tadinha da Florbela Espanca. Eu gosto da senhora. E muito. Tinha uma loucura saudável e aprecio isso. Não falem mal dela, por favor. É como se tivessem a falar mal de mim.

Pedro disse...

Estivessem, aliás... É daqueles erros que mereciam que eu fosse fuzilado lenta e incompetentemente. Sorry.